Download PDF

congonhas

A construção do santuário começou em meados do século XVIII. A fachada da igreja é provida de cunhais, pilastras, cimalha e guarnições de pedra. O frontão espécie de empena que serve para coroar a parte central do frontispício da igreja; costuma-se falar também em frontão com relação ao remate do retábulo. (O frontão truncado de São Francisco de Ouro Preto é o mais dramático) tem curvas graciosas guarnecidas de pedra. No interior, sobre o trono, a imagem de Jesus Crucificado e, no altar mor altar ou retábulo principal de uma igreja ou capela, posicionado na parede. ( São Francisco de Ouro Preto), dois anjos tocheiros escultura de anjo portando tocheiro ou castiçal grande para velas. (No Museu da Inconfidência em Ouro Preto).

esculpidos por Francisco Vieira Servas. A construção da capela-mor capela principal, onde fica o altar-mor de uma igreja é obra de Francisco de Lima Cerqueira, importante arquiteto rococó estilo ornamental surgido na França durante o reinado de Luís XV (1710-1774) e caracterizado pelo uso de curvas caprichosas e formas assimétricas e pela delicadeza dos elementos decorativos, como conchas estilizadas (rocailles), laços, flores, folhagens, que tendiam a uma elegância requintada; no Brasil perdura até o neoclassicismo (1816) em parceria com Tomás da Maia Brito. O retábulo estrutura ornamental de pedra ou talha de madeira que se eleva na parte posterior do altar; genericamente obedece à seguinte classificação: jesuítico ou maneirista (início do século XVII); nacional português (1680-1720); joanino (1720-1760); rococó (1760-1816); e neoclássico. (século XIX) (Seu mais importante retábulo mor está na igreja de São Francisco de Ouro Preto; desenhos os de São João del Rey e do Carmo de Sabará) mor e os santos – Longuinho e Verônica – são de João Antunes Carvalho executado entre os anos 1769 e 1775. Os bustos relicários objeto destinado à guarda de relíquias em forma de busto ou outras. ( Executou um conjunto para o santuário de Congonhas) que ficam sobre os altares  são de Aleijadinho.

Os altares laterais são de Manoel Rodrigues Coelho que tem consolo peça saliente e ornada para sustentar esculturas ou apoiar cornijas e sacadas. (Os profetas estão sobre consolos com mísulas em lugar de colunas, na parte superior há anjos esculpidos. O entalhador Jerônimo Félix Teixeira, recebeu pelos púlpitos tribuna destinada nas igrejas às pregações ou sermões do sacerdote; as igrejas mineiras possuem geralmente dois púlpitos — o do lado do Evangelho (à esquerda de quem entra na igreja) e o da Epístola (à direita). ( Os mais importantes de Aleijadinho são os dois em pedra sabão na igreja franciscana de Ouro Preto e em madeira em Sabará, na igreja carmelita) . Na capela-mor, e por toda a nave parte interna da igreja desde a entrada até a capela-mor; denomina-se nave central quando esse espaço é subdividido por pilares, colunas ou arcos , há vários painéis representando cenas bíblicas. Também nos tetos do presbitério parte elevada da capela-mor de uma igreja (Elaborado para a Sé de Mariana) e do corpo da igreja há variadas pinturas em perspectiva de artistas como João Nepomuceno Correia Castro (pintadas entre os anos 1778 – 1787), retocadas por Manoel da Costa Ataíde. As cenas são do drama de José e seus irmãos e as cenas que se seguem como a sedução da mulher de Putifar, cenas com o faraó e interpretação dos sonhos. As cenas da capela mor são sobre o rei David, a sua unção, luta com Golias, despedida de Jônatas, David com os pães santificados, ou seja alusões à vida de Cristo.

O programa pictórico no interior do santuários é na realidade uma continuidade da obra que fora proposta para Aleijadinho: cenas do Antigo Testamento (Profetas, vestidos à moda turca) e do Novo Testamento (Passo Pequena capela que abriga esculturas ou pinturas representando cenas da Paixão de Cristo (Capelas dos Passos da Paixão em Congonhas com as 64 esculturas) da Paixão). Sob o coro estão cenas dos patriarcas bíblicos como Abraão e Isaac e, Jacó e Isaac. Ainda há cenas de Adão e Eva no paraíso e suas expulsões, os sacrifícios de Abel e Caim e seu crime ao matar o irmão, Noé e o dilúvio. Do Novo Testamento, cenas da vida de Cristo e da Virgem – seu Nascimento, Casamento com José, Anunciação, Nascimento, Adoração dos Pastores, no Templo. Da vida adulta de Cristo, o Batismo, Sermão da Montanha, Vendilhões do Templo, Encontro com a Samaritana e Ressurreição de Lázaro. O terceiro ciclo são as pinturas referentes à Paixão desde a Entrada em Jerusalém até sua Crucificação.

 

Download PDF BAZIN, Germain
Aleijadinho e a Escultura. Rio de Janeiro : Record, 1971.

 


 

COSTA, Lucio.
Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. in: O universo mágico do barroco brasileiro. Emanuel Araujo (org). São Paulo : SESI,1998.


 

OLIVEIRA, Myriam Andrade Ribeiro.
Aleijadinho : Passos e Profetas. Belo Horizonte: Editoras Itatiaia/EDUSP,1984.


 

MACHADO, Lourival G.
Barroco Mineiro. São Paulo : Perspectiva, 1973.


 

TAVEIRO, Celso.
O Aleijadinho em Congonhas: as hipóteses de Germain Bazin. in Barroco. Ouro Preto : UFMG, nº 13, 1985.


 

SILVA, Soraia Maria.
Profetas em movimento. São Paulo : Edusp/Imprensa Oficial, 2001.


 

SMITH, Robert.
Congonhas do Campo. Rio de Janeiro : AGIR, 1973,

 

Dicionários

CHEVALIER, Heab e GHEERBRANT, Alain.
Dicionário de Simbolos. Rio de Janeiro : Ed. José Olympio, 1990.


 

JENNI, E. e C. WESTERMANN.
Diccionario Teológico Manual del Antiguo Testamento. Madrid : Ed. Cristandad, 1978.


 

SANCHÉZ, Tomás Parra. Dicionário da Bíblia.
Aparecida : Editora Santuário, 1997.

Download PDF

Projeto Aleijadinho

Projeto Aleijadinho

 

Download PDF

Projeto Aleijadinho